Bits to Brands #111 | Year in Review

Então é Natal, e o que você fez?

Tempo de leitura: 5 minutos

Chegamos! Para você que assinou a Bits desde o Hostel by RD, normalmente a gente chega às quintas-feiras, tá? E para quem assina há mais tempo: desculpem o atraso.

Chegamos no único clima possível faltando pouco para o (recesso) fim do ano: retrospectiva. Com a ajuda dos recentes gráficos e resumos das principais plataformas.

E quanto ao resumo da Bits? Esse vem semana que vem, na última edição de 2020. Já sinto saudades.

-Beatriz

PS: para falar direto comigo, use o botão “responder”, ou escreva para beatriz@bitstobrands.com :)

Year in Review

Então é Natal, e o que você fez?, já dizia a música.

E se antigamente a gente ficava somente nas suposições e reflexões, desde que a tecnologia se tornou parte das nossas vidas, essa pergunta ganhou respostas muito objetivas.

O que você fez no TikTok? O que você fez no Google? O que você fez no Spotify? O que você fez no Tinder?

Tudo mapeado, registrado, consolidado e embrulhado pra presente nos seus respectivos Year in Review - uma das tradições mais aguardadas do ano (pelo menos por aqui).

Nesse ano tão completamente atípico, as listas não foram somente sobre descobertas engraçadinhas e relembrar memes. Foram também reflexo de novos comportamentos, manias e dúvidas, expressas em forma de música, entretenimento, questionamento e também “swipes” pra direita ou pra esquerda.

Eis que alguns dos maiores virais de 2020 no TikTok foram um cara andando de skate e dando um gole em suco de cranberry, uma garota imitando aquele colega chato nas reuniões virtuais que todo mundo tem e uma moça preparando cenoura na airfryer como se fosse bacon.

O conteúdo completamente aleatório, feito por gente comum, nas suas casas ou em contextos nada extraordinários, de repente era tudo que a gente precisava.

E por falar em nada extraordinário, os momentos em casa também se refletiram no Spotify - como mostra o crescimento em playlists relacionadas com jardinagem (430%) ou faxina (40%).

Nem o Tinder ficou livre da imprevisibilidade de 2020. O aplicativo viu o número de usuários crescer em dígitos duplos, e o seu papel mudar um pouco. Se antes ele era apenas a ponte, com a impossibilidade de se encontrar fisicamente, a interação via Tinder intensificou. E isso promoveu encontros também com outras plataformas e referências.

Séries da Netflix, vídeos no TikTok, ilhas no Animal Crossing, hashtags no Twitter.. todos esses elementos apareceram de alguma forma como tendências em 2020, e como ponto de partida ou continuação das interações entre solteiros espalhados pelo mundo todo.

Por fim, o oráculo. Em 2020, mais do que nunca, olhamos para o Google como quem olha para um espelho. A cada destaque, um pedaço do que foi esse ano.

Maiores buscas: coronavírus, eleições, BBB 20.

O que é lockdown, o que é pandemia. Como fazer máscara de tecido, como fazer álcool gel, exercícios para fazer em casa, horta em casa.

Lá por meados de abril, “que dia é hoje?” teve uma alta histórica. Em junho, “como ser antirracista” foi mais pesquisado do que "como ser milionário". Nunca antes tantas pessoas buscaram por adoção de cachorro como em 2020. E pela primeira vez eu chorei com o resumo em vídeo do Year in Search.

Agora que está quase acabando, revisitar 2020 é um misto de alívio, esperança e confusão. E um exercício não mais, não dessa vez, de tentar prever o que vem por aí. E sim, com calma e coragem, aprender com o que passou.

_

AS FONTES DESSA EDIÇÃO (E RELATÓRIOS PARA VER UM A UM):
“The Year on TikTok”, os top 100 vídeos do TikTok americano
+ Bônus: as principais ações de marcas no TikTok em 2020
As tendências no streaming em 2020, resumo do Spotify
“Year in Swipe”, as principais tendências que o Tinder observou esse ano
As palavras mais buscadas no Google-BR em 2020, em ranking
E num infográfico onde dá para perder horas, os principais fun facts de buscas do Google

Uma retrospectiva das principais retrospectivas de 2020, para que você encontre os principais insights em um lugar só e não precise ficar revivendo lentamente o ano que passou: você só encontra aqui.

Compartilhe para que mais pessoas possam encontrar também :)

Share


Momento de Inspiração

A única reação possível à campanha de Natal da Hering é “eu queria morar nesse vídeo”. Ele é amigável, caloroso, simpático e extremamente cativante. Pra quem curte branding, assim são as marcas que seguem o arquétipo do cara comum (ou everyman) - e a Hering é uma delas. Um belo exemplo de como arquétipos se manifestam na comunicação - mesmo que não tenha sido intencional.


Caixa de Perguntas

(deixe aqui neste link sua pergunta sobre construção de marca, uma tendência recente, sobre newsletter ou estratégia de conteúdo, que toda semana uma delas será respondida)

Qual papel de blogs na internet de hoje? Eles ainda tem espaço?

Acho que os blogs nunca perderam espaço. Tem estratégias de SEO, especialmente em marcas B2B, ancoradas fortemente em blogs corporativos que geram muito resultado.

Quanto à criadores de conteúdo, houve um movimento, sim, das “blogueiras” para o Instagram, mas tenho observado um retorno recentemente ao “.com”, especialmente por parte de quem compartilha conteúdo educativo ou profissional.

Algumas das referências que eu sigo que têm ido nessa direção nos últimos tempos são a Branding Lab, o Tira do Papel e a Moving Girls, fora a galera que publica em Medium e LinkedIn.

Para além de um espaço na internet que é seu e não do Zuckerberg, acho que o blog cumpre um papel importante de registrar e dar uma vida mais longa ao conteúdo, especialmente se você quer tratar de um assunto com profundidade.

A própria Bits opera muito mais na lógica dos blogs do que das redes sociais, por exemplo. Existe espaço pra tudo :)


O que ler/assistir/conferir

A cor do ano de 2021 são duas cores. Praticidade e solidez, calor e otimismo. Força e positividade. Reflexão e leveza. É essa mistura que a Pantone quer propor com suas cores para o ano de 2021, mostrando desde já que as previsões para o ano que está vindo tem muito mais de dualidade do que linearidade. Estamos de olho.

Meditação + Streaming. A união de dois gigantes na rotina das pessoas: os aplicativos de meditação, e os de entretenimento. A Calm já tinha lançado uma série para a HBO Max, e agora é a vez do Headspace se unir à Netflix. O trailer tem tudo: a voz clássica do narrador das meditações, as ilustrações que diferenciam o app e uma vibe extremamente relaxante.

O mundo não gira, ele capota. Em 2015, o co-founder do Airbnb compartilhou no Medium uma série de rejeições que eles receberam de investidores, na época em que buscavam 150 mil dólares por 10% da empresa. Ontem, o Airbnb foi avaliado em mais de 100 bilhões de dólares logo após seu IPO.


Manda jobs!

(se você tem vagas abertas e quer atrair gente boa e sempre ligada em novidades, pode mandar em beatriz@bitstobrands.com)

Todas as vagas que já chegaram até aqui estão reunidas neste link, e essa semana recebemos vagas via assessoria de imprensa. Chiques! :)

Tem vaga para profissional de marketing, de UX, de planejamento estratégico, de mídias sociais, de gestão de pessoas e também para desenvolvedores. Todas elas na Printi - gráfica online com foco em personalização.

As oportunidades são para o regime home office e oferecem benefícios como assistência médica e odontológica, vale refeição, seguro de vida, PLR, vale-infra, Totalpass e 20% de desconto no site Printi.

Se você tiver interesse em alguma delas, cadastre-se aqui: printi.com.br/carreiras


obrigada por ler até o final! :)

👩🏻‍💻 curadoria e textos por Beatriz Guarezi. estrategista de marcas, curadora de conteúdo e escritora de e-mails.

📩 essa é uma newsletter semanal sobre tendências de tecnologia e comportamento para marcas. se você aproveitou essa edição e ainda não assina, receba por e-mail: