Bits to Brands #92 | Pocket

Tempo de leitura: 6 minutos

Para quem chegou nos últimos meses, normalmente toda edição começa com um tema explorado em profundidade, e depois partimos para curadoria. Mas uma edição pocket vai direto para a curadoria - que é o nosso caso hoje.

Isso porque a caixa de entrada por aqui estava CHEIA. De muita troca, de feedbacks positivos e cheia também de vagas!

Para quem não sabe, tudo que envolve o universo da Bits é feito por uma única pessoa - hello! Então o tempo que seria dedicado a um textão, está sendo diluído entre as mais de 70 mensagens pendentes.

Coisas de ser faz-tudo numa ~corporação de conteúdo, além de brand manager de uma marca legal em horário comercial: às vezes é preciso fazer escolhas. Mas a escolha dessa semana trouxe também um insight.

Diversas pessoas escreveram com perguntas relacionadas ao dia a dia da Bits - qual ferramenta de e-mail eu uso, como fazer curadoria, por onde começar uma newsletter..

E na mesma caixa de entrada, 10 e-mails em resposta à edição de semana passada, sobre games, boa parte deles ressaltando a surpresa positiva de ver esse assunto abordado por aqui (aliás, muita gente procurou o Renato a partir daqui, elevando MUITO a moral dessa newsletter. Ele merece, e essa troca é sensacional!).

O que me levou a pensar que existe espaço para equilibrar assuntos que eu identifico por aí e acho relevantes, com temas e dúvidas que VOCÊ gostaria de ver na Bits.

Então, ao melhor estilo das redes sociai , queria te convidar hoje a deixar a sua pergunta na caixinha.

Qual o seu maior desafio quando o assunto é construção de marca?
Qual movimento você tem acompanhado no mundo da tecnologia ou das marcas e gostaria de ver explicado por aqui?
Como essa newsletter pode te ajudar a pensar a sua newsletter, a sua estratégia de conteúdo ou o seu projeto pessoal?
Quais dicas mais fariam diferença pra você neste momento?

Basicamente, clica na caixa de perguntas abaixo e me conta: o que você quer saber?

Essas respostas certamente irão inspirar futuras edições, artigos, análises e quem sabe até aulas e palestras ;)

Errata: na edição #91, algumas ferramentas cortaram o final do e-mail, logo antes do botão "unsubscribe". Isso foi um bug - jamais seria intencional. Quero que você esteja aqui porque quer aprender e trocar, e se o conteúdo por qualquer motivo não interessar mais, fique à vontade para desinscrever.

- Beatriz

~ um espaço cada vez mais colaborativo ~

e no melhor espírito de colaboração,
compartilhe essa newsletter ♡

TikTok como plataforma educacional
Análise interessantíssima do YouPIX sobre como a plataforma vem se destacando ao oferecer conteúdo de todo tipo, além dos memes e dancinhas. a hashtag #AprendinoTikTok tem milhões de visualizações, em vídeos que vão de multiplicação e ciência à culinária.

Eles hackearam o Vale do Silício e arrecadaram 200 mil dólares
Para uma ideia que nunca existiu. Usando três emojis e abusando do FOMO das pessoas. No fim, a cultura muitas vezes nonsense do mercado de tecnologia foi exposta, e o dinheiro foi doado para o Black Lives Matter.

O COVID é o fim do coworking e do Uber Pool?
Do UOL Tab: "Quem vai querer compartilhar uma carona com alguém que more em outra casa? E um espaço de coworking, sentando a poucos metros de distância de quem você nem conhece — e muito menos sabe se está se cuidando para não pegar e transmitir o novo coronavírus?"

Nem iFood, nem Rappi
A grande revelação (e salvação) dessa pandemia tem sido o Whatsapp. Bela análise do Manual do Usuário sobre como e por que a ferramenta ainda é o principal recurso de milhões de profissionais e estabelecimentos pelo Brasil.

Se você está procurando livros de desenvolvimento pessoal, marketing e tecnologia, nas indicações anteriores tem vários.

Nos últimos tempos, os únicos que têm me prendido são ficção. Histórias que transportam para outra realidade, e fazem sentir junto com os personagens.

O último livro que li é exatamente isso. Um Lugar Bem Longe Daqui mistura infância, natureza, amor, solidão e um assassinato misterioso. Daquele jeito que não dá pra largar. Um bom companheiro para um fim de semana em casa.

para mais dicas:
todos os livros que já passaram pela Bits estão aqui, e a nossa estante coletiva está aqui

como forma de contribuir ativamente para essa comunidade diversa e sempre antenada de mais de 7.000 profissionais, vamos passar a compartilhar vagas abertas por aqui.
se uma pessoa for recolocada graças a essa newsletter, já vai ter valido a pena.


A vaga de hoje é para a maior plataforma de letras de música da América Latina, o Letras.

Marca que me leva de volta imediatamente ao início dos anos 2000, e às tentativas de entender o que as minhas músicas favoritas queriam dizer. Era o encarte do CD na mão, e a tradução da letra na tela do pczão Windows. Bons tempos :)

Pra você que está cursando graduação em cursos de comunicação (eu nem sei se você chegou a comprar CD hehe) e tem talento para atendimento ao público, fica a oportunidade de estágio na área de Customer Success.

O link para saber mais sobre a empresa e sobre a vaga é esse aqui: https://letras.gupy.io/jobs/222108.

Boa sorte!
se você tem uma vaga na sua empresa e quer atrair profissionais de marketing, comunicação ou tecnologia de todo o Brasil que estão sempre bem informados, me mande um e-mail em beatriz@bitstobrands.com.

Era abril, nós estávamos de quarentena há mais ou menos um mês, e ao mapear os principais termos que definiriam os tempos por vir no nosso , um deles era:

PUZZLES FOR ADULTS

  1. Quebra-cabeças, em geral com 500 peças ou mais;

  2. O novo hobby de influenciadores, apresentadoras e até grandes líderes de fintechs;

  3. Um hábito que foi dos intelectuais reclusos ao mainstream e aos stories em semanas, pós-pandemia;

  4. O sétimo produto mais buscado na Amazon em 24 de março, segundo a Forbes;

  5. Um item cujas vendas por um grande fabricante cresceram 370% em comparação ao ano passado.

Eu mesma já montei uns 3. Em minha defesa, esse é um hobby que me acompanha desde criança, e uma atividade que se tornou uma forma de mediação.

Deixar o tempo passar absolutamente concentrada em uma atividade, sem estar de olho em telas, tem sido terapêutico.

Por isso, a dica de hoje é esse quebra-cabeças de 1000 peças que forma cenas icônicas de Friends. Certamente o mais divertido que eu já montei, para você quarentener millenial. Disponível na Amazon.

Se alguém te encaminhou essa newsletter e você quer receber direto na caixa de entrada toda semana, clique aqui: