Bits to Brands #59 | Os assuntos que mais interessam no momento

Muita gente pergunta como um assunto vem parar aqui. Quase 60 edições depois, a curadoria se tornou parte fixa da minha vida, o que trouxe uma série de processos.

Abrir abas, filtrar abas, selecionar o que vem pra cá a cada semana, escrever, subir imagens, testar, agendar. Mas no fim, apesar de ter um certo método, esse espaço é sobretudo inspiração.

E inspiração, por mais clichê que seja, pode vir de qualquer lugar. A dessa semana, veio de um tweet.

"Assuntos que me interessam nesse momento". Eu perdi horas nessa thread, lendo as listas das pessoas e as respostas, enquanto tentava identificar a minha.

Em meio a tantos acontecimentos, tanto assunto, uma polêmica nova por dia - o que mais interessa nesse momento?

1. DNVBs
Desde a primeira vez que me deparei com essa sigla, fiquei fascinada por essas marcas. São as "digitally native vertical brands" - marcas nascidas e criadas na internet, que vendem diretamente para seus consumidores. Colchões, cosméticos, comida, acessórios.. Todos os mercados estão aos poucos sendo povoados por elas. E é só o começo.

2. Envelhecimento
Um dos tópicos mais contraditórios do momento. Uma geração que por um lado foi abandonada pela tecnologia e pelas redes sociais, seguindo presa nos mesmos estereótipos; e por outro se recusa a ficar "velhinha" e está colocando as marcas para correr atrás do prejuízo.

3. Marcas que viram pessoas que viram marcas
Um dos melhores cases de marca e comunicação dos últimos tempos, a Lu do Magalu é também tendência. As "influenciadoras virtuais" são muito Black Mirror, mas quando elas nascem para personificar marcas, eu paro para prestar atenção. Essa semana mesmo, a Natura reapresentou a sua Nat. E no fim de semana ela já estava curtindo o Rock in Rio.

4. Whatsapp Shopping
Já está disponível no Brasil a feature que permite que você acesse todo o catálogo de uma loja sem sair do ambiente do Whatsapp. Com preço e call to action direto para você fazer seu pedido com a loja. Seria o fim dos pequenos sites de ecommerce?

5. TikTok
É a bola da vez do povo do marketing. Quais marcas estão usando, como, guias, manuais, estratégias.. O entendimento geral é: a nova geração deixou o Instagram e o Facebook para os mais velhos (nós mesmos!) e está se divertindo por lá com dublagens e vídeos curtos. Ainda não tenho opinião formada sobre, exceto: esse é o melhor TikTok que eu já vi.

6. Peloton
Se você não sabe o que é uma Peloton, pare o que está fazendo para descobrir. Essa é a marca queridinha do universo fitness nos Estados Unidos, com crescimento assustador, valuation altíssimo e rumo a um IPO. Tudo isso pela sua capacidade de ganhar dinheiro vendendo bicicletas ergométricas estilosas e também uma assinatura mensal de vídeo aulas que aparentemente viciam as pessoas. É a minha startup "to watch" do momento.

Agora, devolvo a pergunta. Quais assuntos mais te interessam no momento?
Me manda a sua lista por e-maili, no Twitter ou marcando a @bitstobrands no Instagram :)
- Beatriz

~ um monte de assunto ~

espero que você tenha descoberto algo novo na edição de hoje.
se sim, compartilhe com um amigo para que ele possa descobrir também

Zuckerberg, sempre ele
2 horas de áudio de uma reunião interna do Facebook que foram parar nas mãos do Casey Newton, do The Verge. Não tem grandes escândalos, exceto pelo comentário sobre a senadora Elizabeth Warren. Como CEO de plataformas que tem tanta influência sobre o resultado de uma eleição, é no mínimo polêmico que Zuck coloque uma candidata na posição de sua inimiga. No mínimo.

De "everything store" para "everywhere store"
A Amazon quer estar em todo lugar e acompanhar todos os passos da sua rotina. E fez questão de deixar isso bem claro semana passada, ao lançar produtos "Alexa-powered" que vão de óculos e fones de ouvido a uma coleira de cachorro. "Está ficando cada dia mais fácil imaginar um futuro em que a Amazon é quase literalmente inescapável."

Quem quer ser um influenciador
A TIM quer transformar qualquer post em publi post. Reportagem completíssima do Manual do Usuário sobre essa ação de marketing criativa e inovadora - mas que não pode ser irresponsável.


Julia Petit, Sallve, cuidados com a pele e saúde mental
Entrevista com uma das blogueiras raiz, Julia Petit, sobre a sua nova empreitada: a Sallve. Bons insights sobre a construção colaborativa dessa DNVB, sobre a onda do skincare que vem tomando as redes sociais e sobre o seu impacto na saúde mental das mulheres (sempre nós..).

Nothing lasts Forever
(Não pude resistir ao trocadilho, por favor não me deem unsubscribe) A Forever 21 está falindo, e segundo essa análise do El País, a queda da gigante do varejo é um exemplo prático da teoria de Darwin. Uma marca que não foi capaz de se adaptar ao novo comportamento de compra dos seus consumidores - conectados, socialmente conscientes e preocupados com a durabilidade dos produtos em que investem o seu dinheiro. Seria o fim da era das brusinhas baratas?

Quem está aqui há mais tempo sabe que eu cito e recomendo Scott Galloway sempre que posso.

O seu primeiro livro, "The Four", foi certamente uma das grandes inspirações para esse projeto.

O segundo, "The Algebra of Happiness", é uma inspiração pra vida. Ele divide experiências e conselhos sobre trabalho, relacionamento, família, envelhecer, estudar, entre outros.

É impossível não tirar pelo menos uma lição valiosa aqui.

"Uma plataforma que mapeia talentos criativos femininos na áreas de publicidade, conteúdo e design." Porque chega de indústrias dominadas por homens. Porque já está mais do que na hora de trocarmos mais, aparecermos mais, crescermos mais.

Eu já era fã do MORE GRLS, depois de conhecê-lo de perto fiquei mais ainda. Além da plataforma (cadastrem-se!), tem muito conteúdo legal no Instagram.

PS: Se você produz conteúdo e quer aparecer nessa seção, responda esse e-mail com o seu projeto :)

Esse fim de semana terminei de assistir a polêmica Years & Years, da HBO.

Muitos destacam as questões de tecnologia e sociedade que a série retrata, mas na minha visão elas servem de pano de fundo para o que é realmente interessante: o quanto cada um dos personagens vai se transformando a cada ano, sob influência dos acontecimentos e ferramentas.

A série atinge 100% o objetivo de nos fazer refletir sobre o mundo em que vivemos e para onde ele está indo. Ou às vezes, onde ele já está.

Já assistiu? Vem trocar uma ideia sobre aqui nesse post :)

Se alguém te encaminhou essa newsletter e você quer receber direto na caixa de entrada toda semana, clique aqui: