Bits to Brands #57 | Temos Amazon Prime. E agora?

Chegou. 14 anos depois da sua primeira versão ser lançada nos Estados Unidos, temos Amazon Prime no Brasil.

Apesar da demora, chegou mais completo do que nunca. Segundo o country manager da Amazon no Brasil, "nós somos o maior lançamento do Prime da história do serviço. Nenhum país teve tantos benefícios já no primeiro dia"

A ideia é tornar indiscutível o custo benefício da assinatura. Por R$ 9,99 você tem frete grátis infinito, acesso a todas as plataformas de entretenimento da Amazon (que incluem filmes e séries, livros e jogos) e ofertas exclusivas.

Quando a gente compara com o plano de duas telas simultâneas da Netflix (R$ 32,90) e ao Spotify Premium (R$ 16,90), realmente o plano da Amazon fica MUITO atrativo. Esse é o efeito de uma empresa com muito dinheiro e sem medo de ser agressiva.

Do outro lado, as grandes varejistas também sentiram o impacto desse lançamento. As ações de Magalu, Via Varejo, Americanas, Submarino, Shoptime e B2W caíram no mesmo dia em que a Amazon chegou. Efeito similar ao que acontece com o Walmart nos EUA quando a Amazon se insinua para novos mercados.

No meio disso tudo, nós. E o efeito que esse lançamento certamente irá causar no nosso dia a dia, tanto ao aumentar nossas opções de entretenimento (a "guerra do streaming" começou oficialmente), quanto ao mudar a nossa relação com as compras online.

De um artigo da VOX (muito completo, aliás, recomendo a leitura):

"Com o Prime, a Amazon permanentemente elevou a barra para a conveniência em compras online. Em troca, isso mudou para sempre os tipos de produtos que as pessoas estavam dispostas a comprar online. Precisa de um presente de última hora ou o pacote de fraldas está acabando? A Amazon agora é uma alternativa para o imediatismo das lojas físicas".

Ainda não estamos nesse ponto, porque o "same-day shipping" não é uma realidade para nós. Ainda.

Mas é indiscutível que a Amazon chegou com todas as suas armas e um preço baixíssimo, disposta a revolucionar a forma que os brasileiros compram. Inclusive, um anúncio que passou meio despercebido recentemente foi o de que a Alexa também vai chegar esse ano. Falando português.

Por aqui, o preço e o FOMO contribuíram bastante para a minha decisão de assinar o Prime. Já comprei o livro do Startup da Real com zero frete, e já assisti 5 episódios seguidos de The Office.

Seguiremos acompanhando.

Confira os benefícios e teste grátis por 30 dias aqui.

Kindle, compras, e agora Amazon Prime. Vendi minha alma para mais uma 'big tech'.
Quem mais?
- Beatriz

PS: O horário oficial dessa newsletter é toda quinta-feira, 8h, com reenvio às segundas. Hoje atrasou um pouquinho :(

~ não só a notícia ~

mas um apanhado de referências, e uma reflexão sobre o impacto dela nas nossas vidas e nas nossas marcas.
é para isso que estamos aqui.
compartilhe com os amigos

O produto do ano
Pelo menos segundo o Innovation by Design, prêmio da FastCompany. É o Controle Adaptável, do Xbox, feito para incluir pessoas com todo tipo de deficiência. Me ganhou em uma frase: "A maioria dos produtos é feita para funcionar da mesma forma para todos. O controle é feito para funcionar diferente para cada um".

Entretenimento em 2020
Um bom resumo do que vai ser a vida dos brasileiros que curtem entretenimento, a partir do ano que vem. Disney+ e Amazon, somadas, custando menos que Netflix. Friends no HBO Max. Globoplay e Telecine correndo por fora. Haja cartão de crédito.

Por que a nostalgia está dando tão certo como estratégia
Uma análise do UOL Tab sobre a tendência que tem dominado o entretenimento e a publicidade em 2019: o #throwback.

Parece que o CEO do WeWork é meio doido
O WeWork tem sido o assunto das últimas semanas, desde que divulgou os documentos para o seu IPO. Isso por que, segundo críticos, eles não faziam o menor sentido (entenda aqui). Tanto que o seu valuation inicial caiu de 40 para 10 bilhões. A bomba dessa semana é um profile do CEO da We, Adam Neumann. Que tem uma personalidade.. excêntrica.

Shonda Rhimes é um dos maiores nomes do entretenimento atual. Ela quebrou várias barreiras no "prime time" americano, incluindo protagonistas negras, um elenco totalmente diverso e todo tipo de temática controversa.

Mesmo que você seja daqueles que odeia Grey's Anatomy (como é possível!!), esse livro é interessante e inspirador.

É a história das decisões de vida que a trouxeram até aqui - a principal delas, dizer "sim". Leve e bem escrito, cheio de lições sem ser brega.

Mais uma das minhas grandes referências. A Passa produz conteúdo sobre produtores de conteúdo, sobre a vida adulta, sobre internet e redes sociais, sobre feminismo e sobre negócios.

Ela indica livros, referências, ferramentas de planejamento pessoal e modelos de negócio para creators. Tudo no mesmo lugar. <3

Siga no Instagram ou no Youtube.

Santa Catarina, esse é um convite para vocês <3

No dia 26 de outubro vai rolar o SHIFT Festival, um festival de inovação e criatividade, em Joinville.
É o tipo de evento que se eu não fosse palestrar, eu certamente iria assistir, porque a programação tá muito boa.
Além da minha palestra sobre branding, tem a futurista Lidia Zuin, o Everaldo Coelho, designer que tem a Apple no currículo e o Rodrigo Ghedin, do Manual do Usuário. Isso só para citar alguns.

Dá para conferir a programação completa aqui no site, e na hora de comprar o seu ingresso, use o cupom BITSTOBRANDS para ganhar 20% de desconto.

Nos vemos lá? :)

Se alguém te encaminhou essa newsletter e você quer receber direto na caixa de entrada toda semana, clique aqui: